terça-feira, abril 18, 2017

As grandes cidades e a origem das cidades - Infohabitar 607

Infohabitar, Ano XIII, n.º 607

O homem foi moldando o espaço às suas necessidades, e tudo bem enquanto o homem não teve o poder necessário para de subverter a ordem natural e paisagística; aí começaram os problemas graves, hoje tão evidentes e tão críticos.
Para não nos sentirmos, hoje, no início do século XXI, excessivamente culpados, da fealdade e do caos urbano que nos rodeia, importa ter presente que a realidade da “super-urbanização” com a criação de metrópoles gigantescas e a referida e terrível subversão das paisagens é um fenómeno que aconteceu, de certa forma, há “instantes” na história do homem moderno.
Provavelmente uma das primeiras (pequenas) cidades foi Jericó (com cerca de 1000 habitantes em 2,5 hectares), que se situou/situa na actual Palestina, tendo surgido há cerca de 10.000 anos (ainda hoje existe uma cidade com esse nome, julga-se que sensivelmente no mesmo local), e as grandes metrópoles actuais, que são verdadeiras regiões/países, das quais é exemplo muito significativo São Paulo – com os seus 10 milhões de habitantes e 16 milhões na região metropolitana –, eram apenas grandes cidades em meados do século XX. São Paulo tinha no início do século XX um pouco mais de 130.000 habitantes e cerca de três milhões no início da década de 60 do mesmo século.


E em tudo isto também é esclarecedor constatar que, embora o fogo tenha sido dominado há cerca de 500.000 anos (meio milhão de anos num planeta com cerca de 4.500 milhões de anos), o homem moderno (sapiens-sapiens) tem, “apenas”, uma história de cerca de 150.000 anos e uma história cultural mais consistente entre cerca de 30.000 e 50.000 anos (mas os primeiros hominídeos viveram há cerca de cinco milhões de anos).
O pensamento simbólico e a arte parece surgir (só) há cerca de 35.000 anos, quando a esperança de vida aumenta significativamente - de cerca "de 15 para 30 anos e os humanos se tornam mais sábios” (artigo de Maggie Fox no Público) - pois começam a tomar conta e a dar valor aos mais velhos e mais fracos, sendo aqui essencial o desenvolvimento de um conjunto encadeado de relações de afectividade e de solidariedade e a associada e gradual valorização da experiência e do contar da mesma, entre gerações, numa perspectiva que também faz valorizar a cultura e a identidade.
E é assim que o desenvolvimento do pensamento simbólico e da arte antecipa, afinal, a própria invenção, primeiro, dos pequenos espaços urbanos constituídos por orgânicos aglomerados de casas, sem ruas, e depois do sistema de casas ligado e separado por ruas e outros espaços de invenção do sentido cívico, de que é exemplo a tal pequena cidade de Jericó iniciada talvez há cerca de 10.000 anos, e que terá sido, sem dúvida, antecedida por muitos pequenos povoados cuja localização se revela, naturalmente, muito difícil.



A ideia que neste pequeno texto se quer deixar é que não sabemos nem, verdadeiramente, podemos saber lidar com o tecido urbano das super-cidades e da super-urbanização, pois não temos experiência prévia de tais situações. A história da vida urbana é, realmente, muito curta e não temos possibilidade de actuar segundo a experiência adquirida nas grandes cidades, pois aqui estamos a entrar constantemente em novos territórios.
Podemos, sim, avançar, positivamente, com ideias fortes, ideias claras e positivas sobre valores acima de qualquer dúvida, como é a defesa e a valorização, sem tréguas, da paisagem natural e do património urbano e rural.
Naturalmente, há que continuar a moldar o espaço deste planeta às necessidades humanas, mas necessidades estas que devem também ser, cada vez mais, exigentes e esclarecidas; às vezes certas necessidades não serão provavelmente verdadeiras necessidades, mas sim resultados de circunstâncias e situações.
A este nível, por exemplo, a questão da maior ou menor necessidade do veículo privado na cidade é algo que merece reflexão muito séria, pois provavelmente tal presença faz cada vez menos sentido; mas tal reflexão tem de ser obrigatoriamente articulada com outros aspectos e exigências de qualidade de vida, caso contrário corre-se o risco de o doente poder até morrer do remédio – o péssimo resultado para a sustentabilidade urbana que resultou do desenvolvimento de amplas zonas pedonais como sucedeu em São Paulo é exemplo vivo e constatável de uma importante faceta desta problemática.
Como acima se disse, o homem foi moldando o espaço às suas necessidades, e tudo bem durante os mais de dez mil anos em que não teve o poder necessário para, com a desculpa de tal adequação, contribuir criticamente para a subversão da ordem natural, paisagística e cultural, com um sentido amplo.
A qualidade de vida das populações era provavelmente uma preocupação pouco presente, quando a vida corria lentamente e as transformações espaciais urbanas e habitacionais sucediam com cadências extremamente lentas, de certa forma de acordo com o ritmo de vida lento que aconteceu até provavelmente meados do século XX; basta pensar um pouco sobre aquelas fotografias que vemos dos anos 40 e 50 em Portugal e também atentarmos nos filmes da época.
A partir de certa altura tudo adquiriu uma rapidez por vezes agressiva e explosiva, pensando na expansão urbana, e quando tal aconteceu não havia critérios “à altura” para racionalizar tal explosão dobrando-a no respeito pela salvaguarda da qualidade de vida das populações; provavelmente nem as populações tinham a noção de que deveriam poder ter essa qualidade de vida.
E aqui há também que considerar o que é, ou o que deve ser realmente considerada, a “qualidade de vida”. Será que é algo por todos assumido da mesma forma? E se acontecer, como parece provável, que haja diversas formas de entender e viver essa qualidade de vida, não haverá aspectos que devam e possam ser intensamente divulgados como fundamentais e potencialmente generalizáveis? As tais ideias fortes, claras e positivas sobre valores acima de qualquer dúvida, como é a defesa e a valorização, sem tréguas, da paisagem natural e do património urbano e rural.
E para se avançar desta forma não podemos ser excessivamente optimistas e confiar inteiramente na boa vontade, na racionalidade, na ponderação, na sensatez e na imparcialidade dos actores envolvidos nas decisões sobre essas temáticas.

Lisboa, Encarnação, 18 de Abril de 2017

Notas finais: este artigo foi editado, originalmente, na Infohabitar em Setembro de 2005, tendo sido revisto e atualizado para a presente edição, mas apenas de forma muito ligeira, de modo a manter-se o sentido essencial da edição original.

António Baptista Coelho
(texto e desenhos)


Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.
(iii) Para proporcionar a edição de imagens na Infohabitar, elas são obrigatoriamente depositadas num programa de imagens, sendo usado o Photobucket; onde devido ao grande número de imagens se torna muito difícil registar as respectivas autorias. Desta forma refere-se que, caso haja interesse no uso dessas imagens se consultem os artigos da Infohabitar onde, sistematicamente, as autorias das imagens são devidamente registadas e salientadas. Sublinha-se, portanto, que os vários albuns do Photobucket que são geridos pelo editor da Infohabitar constituem bancos de dados da Infohabitar, sendo essas imagens de diversas autorias, apontadas nos artigos da Infohabitar, pelo que deve haver todo o cuidado no seu uso; havendo dúvidas um contacto com o editor será sempre esclarecedor.

Infohabitar, Ano XIII, n.º 607
Agradecimentos da Semana CIHEL2017
Editor: António Baptista Coelho – abc.infohabitar@gmail.com
GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional
Mestrado Integrado em Arquitectura da Universidade da Beira Interior - MIAUBI

Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.

quarta-feira, março 22, 2017

Agradecimentos da Semana CIHEL2017

Infohabitar, Ano XIII, N.º 606




Caros amigos e colegas participantes na semana CIHEL2017, e nos seus principais eventos: as 1as Conferências CIHEL, no Porto; o 4.º CIHEL na Covilhã; e as visitas técnicas no Porto, em Viseu, no Fundão e nas Aldeias Históricas e do Xisto,

Não substituindo próximos contatos a realizar, desejavelmente, a curto prazo e que levem em frente a excelente dinâmica que foi atingida na Semana CIHEL2017, que podemos desde já definir como um “Super CIHEL”, capaz de alavancar um grupo de excelentes novas ideias, e que pensamos ter concretizado a ideia-base que tínhamos de poder aliar uma série de realizações científicas e técnicas à oportunidade de um essencial convívio, ele próprio gerador de muitas outras ideias e realizações futuras,

Queremos agradecer a excelente participação de todos, desejar que, sendo o caso, todos tenham feito uma óptima viagem de volta e dizer um até breve bem caloroso,

E, finalmente, aproveitar para deixar aqui um sincero agradecimento público:

§        aos conferencistas inscritos no 4.º CIHEL, que entregaram e apresentaram mais de 180 comunicações originais;
§       aos presidentes da Semana CIHEL 2017, 1as Conferências CIHEL no Porto e 4.º CIHEL;
§        ao Secretariado do CIHEL e aos principais responsáveis pelos CIHEL anteriores, abarcando-se nesta referência todas as pessoas e entidades que organizaram os três CIHEL anteriores, em Portugal e no Brasil;
§  a todos os membros das Comissões do 4.º CIHEL – Comissão de Honra, Comissão Científica e Comissão Dinamizadora Internacional;
§        às entidades que mais apoiaram a semana CIHEL2017: a Câmara Municipal do Porto, à sua Presidência e Vereação e à sua Empresa Municipal, a Domus Social; à Universidade da Beira Interior, ao seu Magnífico Reitor e ao Departamento de Engenharia Civil e Arquitetura (DECA) da UBI; à Câmara Municipal do Fundão à sua Presidência e aos Coordenadores das Aldeias Históricas de Portugal e das Aldeias de Xisto – ADXTUR; à Câmara Municipal de Viseu à sua Presidência e à SRU de Viseu; ao Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) e ao seu Presidente; e ao Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design (CIAUD) da FAUL e ao seu Presidente.
§        a entidades que foram essenciais no adequado desenrolar da Semana CIHEL2017, entre as quais há que destacar: em primeiro lugar, a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), que muito apoiou, institucionalmente e com a presença de muitos dos seus professores, e de forma extremamente positiva o desenvolvimento das 1as Conferências CIHEL no Porto; aos futuros colegas Arquitetos do Núcleo de Estudantes de Arquitetura da UBI (NAUBI), que foram decididamente vitais na estruturação e na excelente dinamização do 4.º CIHEL na UBI; e à Câmara Municipal da Covilhã que marcou uma positiva presença no 4.º CIHEL.
§        aos conferencistas que foram essenciais nas sessões de trabalho e deram uma excelente vida às 1as Conferências CIHEL no Porto e ao 4.º CIHEL e a quem nos acompanhou nas óptimas visitas no Porto e nas Aldeias Históricas e do Xisto.
§        a pessoas/entidades que foram determinantes no muito adequado desenrolar de uma iniciativa de elevada complexidade organizativa como foi a Semana CIHEL2017; e aqui há que destacar: o Senhor Administrador da UBI; aos responsáveis pelos excelentes conteúdos gráficos da Semana e, designadamente, ao atelier CNLL; e ao Secretariado do DECA da UBI e outros serviços da UBI que estiveram bem presentes nesta iniciativa.
§        e, por fim, a entidades que estiveram, estão e estarão sempre presentes nesta excelente aventura do CIHEL: a GHabitar; a TAP; a FENACHE – Federação nacional de Cooperativas de Habitação Económica; o recente, mas deseja-se de longa vida CIARCHE-UBI; o CIALP, Conselho Internacional dos Arquitetos de Língua Portuguesa, com o qual o CIHEL irá fazer parcerias bem úteis; a Ordem dos Arquitectos de Angola, a Ordem dos Arquitectos de Cabo Verde e a bem recente Ordem dos Arquitectos de Moçambique; o Conselho dos Arquitetos e Urbanistas do Brasil (CAU-Br); e o LNEC, Laboratório nacional de Engenharia Civil, entidade sempre presente e ativa desde o início do CIHEL e na respetiva promoção.

A lista é longa, mas é bem verdadeira e aqui se deixam, desde já, as devidas desculpas, por algum (humano) esquecimento.

Muito obrigado a todos os que proporcionaram esta inesquecível Semana CIHEL2017.
Em breve daremos notícias, mas lembramos que o CIHEL será, realmente, aquilo que todos quisermos que ele seja, e para isso o Secretariado está já a ganhar uma nova vida,

A Comissão organizadora da Semana CIHEL 2017
António Baptista Coelho
Carlos Almeida Marques
Nuno Lacerda Lopes
Inês Daniel de Campos
José António Ferreira
Rogério Galante

Editado por
António Baptista Coelho



Aproveita-se para lembrar a próxima realização da
3.ª Assembleia Geral da GHabitar - APPQH 
devidamente divulgada no artigo n.º 605 da Infohabitar e que terá lugar na Sede da FENACHE, em Lisboa, no final da tarde do dia 31 de março.


Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.
(iii) Para proporcionar a edição de imagens na Infohabitar, elas são obrigatoriamente depositadas num programa de imagens, sendo usado o Photobucket; onde devido ao grande número de imagens se torna muito difícil registar as respectivas autorias. Desta forma refere-se que, caso haja interesse no uso dessas imagens se consultem os artigos da Infohabitar onde, sistematicamente, as autorias das imagens são devidamente registadas e salientadas. Sublinha-se, portanto, que os vários albuns do Photobucket que são geridos pelo editor da Infohabitar constituem bancos de dados da Infohabitar, sendo essas imagens de diversas autorias, apontadas nos artigos da Infohabitar, pelo que deve haver todo o cuidado no seu uso; havendo dúvidas um contacto com o editor será sempre esclarecedor.

Infohabitar, Ano XIII, n.º 606
Agradecimentos da Semana CIHEL2017
Editor: António Baptista Coelho – abc.infohabitar@gmail.com
GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional
Mestrado Integrado em Arquitectura da Universidade da Beira Interior - MIAUBI

Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.

sábado, março 04, 2017

4.º CIHEL ÚLTIMAS INDICAÇÕES E DESEJOS DE BOA VIAGEM

Começou a Semana CIHEL2017, Semana do Congresso Internacional da Habitação no Espaço Lusófono (CIHEL): 1. as Conferências CIHEL no Porto, 5 e 6 de março; 4.º CIHEL, na Covilhã, 7 a 10 de março
http://www.4cihel2017.ubi.pt/

Caros colegas inscritos na Semana CIHEL2017

Sublinha-se que esta mensagem é, apenas, para aqueles que se inscreveram no Programa completo, que inclui 1as Conferências CIHEL no Porto e 4.º CIHEL na Covilhã. Como sabem o Programa do Porto inclui visitas técnicas no domingo dia 5 de março, e esta mensagem lembra o local de encontro para as Visitas que é:

Na sede social da Empresa Municipal DomusSocial, EM - entidade da Câmara Municipal do Porto que organiza as Conferências; às 15:00h do dia 5 de março (domingo) Recepção na DomusSocial, Empresa Municipal - na Rua Montes Burgos nº 12 - Porto

Lembra-se também o jantar oferecido pela Câmara Municipal do Porto, aos inscritos na Semana CIHEL2017, e a convidados (já contactados), pelas 20:30h-22:30h na Alfândega do Porto, no mesmo dia 5 de março.

Finalmente e desde já salienta-se que, no dia 7 de Março, quando da saída para a Covilhã, os colegas deverão estar pelas 8h00, junto à saída dos veículos dos Jardins do Palácio de Cristal (Porto) - Jardins estes nos quais está localizado o edifício da Biblioteca Almeida Garrett (onde decorrerão as 1AS Conferências CIHEL no dia 6 de Março).

E refere-se que os colegas deverão estar presentes a essa hora com as respetivas bagagens, para poder haver tempo mínimo para proceder ao embarque; salientando-se que as camionetas sairão até às 8h 30, PONTUALMENTE - esta pontualidade é essencial pois trata-se de hora com muito trânsito, a viagem é longa, temos reunião marcada na Prefeitura/CM de Viseu pelas 10h,00, que gentilmente nos irá acompanhar na visita ao Centro Histórico.
Também desde já se aponta que, depois, a hora de saída de Viseu também acontecerá com idêntico rigor, devido à hora de abertura do 4.º CIHEL na Covilhã.

Sugere-se que os colegas façam o Check-out nos hotéis na véspera e que chamem taxi com antecedência a partir do Hotel, pois no Porto os Taxis não são parados na rua (têm de ser chamados ou tomados em praças de taxis)

E A TODOS SE DEJEJA UMA EXCELENTE VIAGEM E UMA EXCELENTE SEMANA CIHEL2017

António Baptista Coelho
Coordendor do CIHEL e Editor da Infohabitar

domingo, fevereiro 26, 2017

Convocatória da 3.ª Assembleia Geral da GHabitar - 2017 e Notícias do 4.º CIHEL - Infohabitar 605

Infohabitar, Ano XIII, N.º 605
Convocatória da 3.ª Assembleia Geral da GHabitar - 2017 e notícias do 4.º CIHEL
Semana do Congresso Internacional da Habitação no Espaço Lusófono (CIHEL): 1. as Conferências CIHEL no Porto, 5 e 6 de março; 4.º CIHEL, na Covilhã, 7 a 10 de março
http://www.4cihel2017.ubi.pt/

Caros colegas inscritos na Semana CIHEL2017

Sublinha-se que esta mensagem é, apenas, para aqueles que se inscreveram no Programa completo, que inclui 1as Conferências CIHEL no Porto e 4.º CIHEL na Covilhã. Como sabem o Programa do Porto inclui visitas técnicas no domingo dia 5 de março, e esta mensagem atualiza o local de encontro para as Visitas, que passa a ser:

Na sede social da Empresa Municipal DomusSocial, EM - entidade da Câmara Municipal do Porto que organiza as Conferências; às 15:00h do dia 5 de março (domingo) Recepção na DomusSocial, Empresa Municipal - na Rua Montes Burgos, nº12 - Porto

Voltamos a salientar que a Semana CIHEL2017 e os seus principais eventos estão já numa fase muito avançada de preparação, a uma semana do início das suas actividades no domingo 5 de Março no Porto, com um estimulante e diversificado conjunto de intervenções previstas para as 1. as Conferências CIHEL no Porto, dias 5 (visitas) e 6 de março, no Auditório da Biblioteca Almeida Garrett, ao Palácio de Cristal, numa iniciativa diretamente apoiada pela Câmara Municipal do Porto e pela sua Domus Social EM – como poderão ver, mais abaixo,  no Artigo n.º 603 deste Blog/Revista –, e, no âmbito do 4.º CIHEL, com cerca de 180 comunicações originais e 8 palestrantes previstos para o Departamento de Engenharia Civil e Arquitetura da Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, entre 7 e 9 de março, próximos.
No Porto, em Viseu e a partir do Fundão serão, ainda, desenvolvidas várias visitas técnicas – apontadas também no referido artigo n.º 603.



Convocatória da 3.ª Assembleia Geral da GHabitar - 2017 e notícias do 4.º CIHEL

Caros colegas da GHabitar APPQH - anterior Grupo Habitar,

Edita-se, em seguida, a convocatória da nossa Assembleia Geral anual, que seguiu já, com pedido de envio de recibo de receção, para os endereços de elami de todos os associados.
Solicita-se a participação dos colegas na AG e chama-se a atenção para as notas finais a esta convocatória.
Enviam-se as mais calorosas saudações,

A Direção do GHabitar
António Baptista Coelho

Convocatória da 3.ª Assembleia Geral da GHabitar - 2017

 3.ª Assembleia-geral ordinária da GHabitar (GH), a realizar na sexta-feira, dia 31 de março de 2017, em Lisboa, na Sede da GHabitar-APPQH, situada na Rua Armandinho, nº3 – Loja A, 1950-446, Lisboa (Freguesia de Marvila).
Em cumprimento do disposto nos artigos 18º e 23º a 30 dos Estatutos da GHabitar, convoca-se a 3.ª Assembleia-geral, em sessão ordinária, para reunir pelas 17h.30, numa sala da Sede Nacional da Federação Nacional de Cooperativas de Habitação Económica (FENACHE) e, igualmente, sede da GHabitar, situada na na Rua Armandinho, nº3 – Loja A, 1950-446, Lisboa (Freguesia de Marvila).
A 3.ª Assembleia-geral ordinária da GHabitar decorrerá na morada e hora acima indicadas, com a seguinte Ordem de Trabalhos:
1. Apreciação e aprovação das contas de 2016.
2. Proposta de agradecimento formal à Direção da Federação Nacional de Cooperativas de Habitação Económica (FENACHE), pelos apoios diversos e essenciais à continuidade do funcionamento da GHabitar-APPQH.
2. Período específico para admissão de novos associados, que se convidam a estar presentes.
3. Reflexão sobre o pagamento de quotas anuais da GHabitar.
4. Reflexão geral sobre as atividades da GHabitar em 2016 e designadamente: a) atividade da revista na WWW Infohabitar; b) e o desenvolvimento da semana CIHEL2017 e do 4.º Congresso internacional da Habitação no Espaço Lusófono (4.º CIHEL), eventos estes realizados no Porto, em Viseu, na Covilhã e no Fundão/Aldeias Históricas e do Xisto, entre 5 e 10 de março de 2017, com o fundamental apoio da GHabitar - APPQH.
5. Reflexão e eventual decisão sobre outras ações a realizar no âmbito da GHabitar em 2017.
6. Informações.
Se à hora marcada não estiverem presentes metade dos associados, a Assembleia reunirá meia hora depois, às 18h.00, com os membros presentes, de Acordo com o disposto no n.º 2 do art. 30.º dos mesmos Estatutos.
Agradece-se à Federação Nacional de Cooperativas de Habitação Económica (FENACHE) e aos seus dirigentes, mais este apoio à atividade da GHabitar (anteriormente Grupo Habitar).
Lisboa, Sede da GHabitar e Sede da FENACHE, 23 de fevereiro de 2017                                                       
O Presidente da Mesa da Assembleia-geral
Duarte Nuno Simões
Notas Importantes:
·         Tal como é disposto no Artigo 29º dos Estatutos, esta convocatória é enviada por mail, com solicitação de envio de recibo, a todos os associados da GHabitar e é editada no Blog/Revista Infohabitar, Ano XIII, N.º 605, Revista, na WWW da GHabitar-APPQH - a Infohabitar é uma revista com edição semanal, habitualmente divulgada na mailing list da GHabitar e que conta com mais de 900.000 consultas/page-views.  http://infohabitar.blogspot.pt/


Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.
(iii) Para proporcionar a edição de imagens na Infohabitar, elas são obrigatoriamente depositadas num programa de imagens, sendo usado o Photobucket; onde devido ao grande número de imagens se torna muito difícil registar as respectivas autorias. Desta forma refere-se que, caso haja interesse no uso dessas imagens se consultem os artigos da Infohabitar onde, sistematicamente, as autorias das imagens são devidamente registadas e salientadas. Sublinha-se, portanto, que os vários albuns do Photobucket que são geridos pelo editor da Infohabitar constituem bancos de dados da Infohabitar, sendo essas imagens de diversas autorias, apontadas nos artigos da Infohabitar, pelo que deve haver todo o cuidado no seu uso; havendo dúvidas um contacto com o editor será sempre esclarecedor.

Infohabitar, Ano XIII, n.º 605
Convocatória da 3.ª Assembleia Geral da GHabitar - 2017 e Notícias do 4.º CIHEL
Editor: António Baptista Coelho – abc.infohabitar@gmail.com
GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional
Mestrado Integrado em Arquitectura da Universidade da Beira Interior - MIAUBI

Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.

domingo, fevereiro 19, 2017

Divulgação e apresentação dos elementos gráficos da Semana CIHEL2017 - Infohabitar 604

Infohabitar, Ano XIII, N.º 604
Divulgação e apresentação dos elementos gráficos da Semana CIHEL2017 – de 5 a 10 de março
Semana do Congresso Internacional da Habitação no Espaço Lusófono (CIHEL): 1. as Conferências CIHEL no Porto, 5 e 6 de março; 4.º CIHEL, na Covilhã, 7 a 10 de março
Nota inicial: voltamos a salientar que a Semana CIHEL2017 e os seus principais eventos estão já numa fase muito avançada de preparação, a 15 dias do início das suas actividades no domingo 5 de Março no Porto, com um estimulante e diversificado conjunto de intervenções previstas para as 1. as Conferências CIHEL no Porto, dias 5 (visitas) e 6 de março, no Auditório da Biblioteca Almeida Garrett, ao Palácio de Cristal, numa iniciativa diretamente apoiada pela Câmara Municipal do Porto e pela sua Domus Social EM – como poderão ver, mais abaixo,  no Artigo n.º 603 deste Blog/Revista –, e, no âmbito do 4.º CIHEL, com cerca de 180 comunicações originais e 8 palestrantes previstos para o Departamento de Engenharia Civil e Arquitetura da Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, entre 7 e 9 de março, próximos.
No Porto, em Viseu e a partir do Fundão serão, ainda, desenvolvidas várias visitas técnicas – apontadas também no referido artigo n.º 603.




Apresentam-se as devidas desculpas aos leitores e aos autores dos elementos gráficos apresentados, pela menor qualidade de algumas das imagens, que, no entanto, proporcionam uma ideia geral do elaborado projeto gráfico que acompanhou a Semana CIHEL2017.

Os programas estão, naturalmente, disponíveis e bem legíveis no site da Semana CIHEL 2017 e no anterior artigo aqui editado na Infohabitar:


























Design do site do 4.º CIHEL e dos elementos gráficos da Semana CIHEL2017, apresentados acima
  • Carlos Nuno Lacerda Lopes
  • Pedro Botelho
Ilustrações dos mesmos elementos gráficos
  • Maria Abreu

Comissão Organizadora da semana CIHEL2017:
António Baptista Coelho
Carlos Almeida Marques
Carlos Nuno Lacerda Lopes
Inês Daniel de Campos
José António Ferreira
Rogério galante
Coordenador Científico das 1.as Conferências CIHEL
Carlos Nuno Lacerda Lopes
Direção das 1.as Conferências CIHEL
Carlos Nuno Lacerda Lopes;
José António Ferreira
 Maria Manuela Álvares
Presidente da Comissão Científica do 4.º CIHEL
Carlos Almeida Marques
Direção do 4.º CIHEl:
António Baptista Coelho
Inês Daniel de Campos
Rogério Galante
Logótipos da Semana CIHEL2017
Isabel Romana 


Artigo editado por:
António Baptista Coelho
Coordenador do CIHEL

Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.
(iii) Para proporcionar a edição de imagens na Infohabitar, elas são obrigatoriamente depositadas num programa de imagens, sendo usado o Photobucket; onde devido ao grande número de imagens se torna muito difícil registar as respectivas autorias. Desta forma refere-se que, caso haja interesse no uso dessas imagens se consultem os artigos da Infohabitar onde, sistematicamente, as autorias das imagens são devidamente registadas e salientadas. Sublinha-se, portanto, que os vários albuns do Photobucket que são geridos pelo editor da Infohabitar constituem bancos de dados da Infohabitar, sendo essas imagens de diversas autorias, apontadas nos artigos da Infohabitar, pelo que deve haver todo o cuidado no seu uso; havendo dúvidas um contacto com o editor será sempre esclarecedor.

Infohabitar, Ano XIII, n.º 604
Divulgação e apresentação dos elementos gráficos da Semana CIHEL2017 – de 5 a 10 de março

Editor: António Baptista Coelho – abc.infohabitar@gmail.com
GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional
Mestrado Integrado em Arquitectura da Universidade da Beira Interior - MIAUBI


Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.