segunda-feira, dezembro 24, 2018

Boas Festas e Feliz 2019


(na imagem: o centro do bairro modernista Olivais Norte em Lisboa/ a não perder)


Neste Natal, que desejamos em Paz e Alegria, e no final de 2018 e início de um Novo Ano de 2109, que desejamos cheio de Saúde e de Felicidade, a edição da Infohabitar, a Direcção do GHabitar e a Coordenação do Secretariado do CIHEL, enviam votos de Festas Felizes a todos os leitores,

Com Respeito e Amizade,

António Baptista Coelho
Editor da Infohabitar
Direcção da GHabitar 
Coordenação do CIHEL



terça-feira, dezembro 18, 2018

Mais alguns esboços aguarelados sobre Olivais Norte, em Lisboa (III)


Infohabitar, Ano XIV, n.º 669

Mais alguns esboços aguarelados sobre Olivais Norte, em Lisboa (III)
por António Baptista Coelho

Esta semana concluímos a edição simples, praticamente não comentada, de alguns últimos esboços, mantendo-se uma “tradição” da Infohabitar, onde já foram editados algumas dezenas de artigos com esboços diversos.

E continuamos em Olivais Norte, Lisboa – quem visite o bairro deve sair na estação de Metro da Encarnação.

Tal como já se apontou nas últimas  semanas,  regista-se, apenas, que Olivais Norte, em Lisboa, o bairro agora esboçado em algumas vistas, constitui um conjunto habitacional e urbano de pura traça modernista e sendo, nesta perspectiva, muito provavelmente, o melhor exemplo modernista português, que alia a esta valia cultural e arquitectónica única uma extraordinária qualidade de vivência urbana e habitacional; mas, no entanto, Olivais Norte encontra-se, actualmente e já desde há anos, no que se considera ser um sensível e crescente estado de pouco cuidado com os seus espaços exteriores públicos, que é  bem evidente, designadamente, durante os meses mais quentes (devido à ausência de rega), mas também em pavimentos degradados, falta de mobiliário urbano compatível com o carácter dos espaços, novas intervenções de reformulação de estacionamentos desenquadradas das originais, etc.; uma situação que afecta a fruição do espaço público e a sua imagem, e uma situação para a qual também contribui, intensamente, a contínua “destruição” das fachadas dos seus excelentes edifícios - verdadeiros marcos da nossa história habitacional - com marquises, estores e outras intervenções dissonantes.

Será já tempo de se pensar, urgente e decididamente, em parar esta múltipla e triste  “destruição” do nosso bairro modernista por excelência, e talvez através de uma aliança estratégica e bem acordada entre município/estado e moradores, partir para uma gradual, mas bem afirmada, recuperação da imagem urbana pública de Olivais Norte (integrando espaços públicos e fachadas dos edifícios), restituindo a este bairro a sua clara importância histórica e cultural, que poderia ser bem evidenciada, por exemplo, através de um núcleo  interpretativo do Bairro (por exemplo, sediado, estrategicamente num espaço da estação de metro da Encarnação, centrada no Bairro), e, simultaneamente, revalorizando, assim, muito significativamente, os seus espaços públicos, edifícios e habitações - e já há exemplos excepcionais de moradores que, isoladamente, procuram recuperar a imagem original das suas habitações e até a vizinhança contígua dos seus espaços públicos, faltando transformar este processo numa dinâmica bem enquadrada e ampla, que poderá, eventualmente, recorrer a adequadas soluções inovadoras em termos de imagem produzida/recuperada e de custo/benefício - benefício este no qual talvez se possam também incluir melhorias das habitações em termos do respectivo conforto ambiental (pois julga-se que há programas específicos de apoio a este tipo de intervenções).

E não tenhamos qualquer dúvida que todos ganharíamos com o início de um processo deste tipo, pois está bem na hora de alargarmos o sentido patrimonial prático bem para cá das malhas urbanas e citadinas com centenas de anos; a cidade e neste caso Lisboa poderá evidenciar um “menu” de bairros histórica e imageticamente sequenciais. 





Fig. 01 – sem título





Fig. 02 – sem título



Fig. 03 – sem título






Fig. 04 – sem título






Fig. 05 – sem título



Fig. 06 – sem título





Fig. 07 – sem título




Fig. 08 – sem título


Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.

Infohabitar, Ano XIV, n.º 669

Mais alguns esboços aguarelados sobre Olivais Norte, em Lisboa III

Infohabitar
Editor: António Baptista Coelho
abc.infohabitar@gmail.com


Revista do GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional Infohabitar,– Associação com sede na Federação Nacional de Cooperativa de Habitação Económica (FENACHE).


Apoio à Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.

terça-feira, dezembro 11, 2018

Últimos esboços a azul e branco - Infohabitar 670


Infohabitar, Ano XV, n.º 670

Últimos esboços a azul e branco (quase só)

por António Baptista Coelho

Esta semana, iniciando o nosso 15º anos editorial, continua-se uma edição simples, não comentada, de alguns últimos esboços, mantendo-se uma “tradição” da Infohabitar, onde já foram editados algumas dezenas de artigos com esboços diversos, alguns comentados outros não.

Apenas se refere que os esboços agora editados (com excepção do último) foram realizados, no local, em Olivais Norte, Lisboa; o exemplar bairro modernista português, que muito cuidado e divulgação deveria merecer.






 Fig. 01 - Olivais Norte, Lisboa




 Fig. 02 - gaivotas




 Fig. 03 - gaivotas





                                              Fig. 04 - Olivais Norte, Lisboa





                                                Fig. 05 - Olivais Norte, Lisboa





 Fig. 06 - pombos





  Fig. 07 - Olivais Norte, Lisboa


Fig. 8 - sem título

Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.

Infohabitar, Ano XV, n.º 670
Últimos esboços a azul e branco (quase só)
Infohabitar
Editor: António Baptista Coelho
abc.infohabitar@gmail.com
abc.infohabitar@gmail.com

Revista do GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional Infohabitar,– Associação com sede na Federação Nacional de Cooperativa de Habitação Económica (FENACHE).
Edição semanal nas instalações do Núcleo de Estudos Urbanos e Territoriais (NUT) do Departamento de Edifícios (DED) do LNEC;
Apoio à Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.

Esboços aguarelados sobre Olivais Norte, Lisboa (II) Infohabitar 668

Infohabitar, Ano XIV, n.º 668

Mais alguns esboços aguarelados sobre Olivais Norte, em Lisboa (II)

por António Baptista Coelho

Esta semana continuamos a edição simples, quase não comentada, de alguns últimos esboços, mantendo-se uma “tradição” da Infohabitar, onde já foram editados algumas dezenas de artigos com esboços diversos.

E continuamos em Olivais Norte, Lisboa – quem visite o bairro deve sair na estação de Metro da Encarnação.

Tal como já se apontou na semana passada,  regista-se, apenas, que Olivais Norte, em Lisboa, o bairro agora esboçado em algumas vistas, constitui um conjunto habitacional e urbano de pura traça modernista e sendo, nesta perspectiva, muito provavelmente, o melhor exemplo modernista português, que alia a esta valia cultural e arquitectónica única uma extraordinária qualidade de vivência urbana e habitacional; mas, no entanto, Olivais Norte encontra-se, actualmente e já desde há anos, no que se considera ser um sensível e crescente estado de pouco cuidado com os seus espaços exteriores públicos, que é  bem evidente, designadamente, durante os meses mais quentes (devido à ausência de rega), mas também em pavimentos degradados, falta de mobiliário urbano compatível com o carácter dos espaços, novas intervenções de reformulação de estacionamentos desenquadradas das originais, etc.; uma situação que afecta a fruição do espaço público e a sua imagem, e uma situação para a qual também contribui, intensamente, a contínua “destruição” das fachadas dos seus excelentes edifícios - verdadeiros marcos da nossa história habitacional - com marquises, estores e outras intervenções dissonantes.

Será já tempo de se pensar, urgente e decididamente, em parar esta múltipla e triste  “destruição” do nosso bairro modernista por excelência, e talvez através de uma aliança estratégica e bem acordada entre município/estado e moradores, partir para uma gradual, mas bem afirmada, recuperação da imagem urbana pública de Olivais Norte (integrando espaços públicos e fachadas dos edifícios), restituindo a este bairro a sua clara importância histórica e cultural, que poderia ser bem evidenciada, por exemplo, através de um núcleo  interpretativo do Bairro (por exemplo, sediado, estrategicamente num espaço da estação de metro da Encarnação, centrada no Bairro), e, simultaneamente, revalorizando, assim, muito significativamente, os seus espaços públicos, edifícios e habitações - e já há exemplos excepcionais de moradores que, isoladamente, procuram recuperar a imagem original das suas habitações e até a vizinhança contígua dos seus espaços públicos, faltando transformar este processo numa dinâmica bem enquadrada e ampla, que poderá, eventualmente, recorrer a adequadas soluções inovadoras em termos de imagem produzida/recuperada e de custo/benefício - benefício este no qual talvez se possam também incluir melhorias das habitações em termos do respectivo conforto ambiental (pois julga-se que há programas específicos de apoio a este tipo de intervenções).

E não tenhamos qualquer dúvida que todos ganharíamos com o início de um processo deste tipo, pois está bem na hora de alargarmos o sentido patrimonial prático bem para cá das malhas urbanas e citadinas com centenas de anos; a cidade e neste caso Lisboa poderá evidenciar um “menu” de bairros histórica e imageticamente sequenciais. 



Fig. 01 – sem título



Fig. 02 – sem título

Fig. 03 – sem título




Fig. 04 – sem título




Fig. 05 – sem título


Fig. 06 – sem título



Fig. 07 – sem título


Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.

Infohabitar, Ano XIV, n.º 668

Mais alguns esboços aguarelados sobre Olivais Norte, em Lisboa II

Infohabitar
Editor: António Baptista Coelho
abc.infohabitar@gmail.com


Revista do GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional Infohabitar,– Associação com sede na Federação Nacional de Cooperativa de Habitação Económica (FENACHE).


Apoio à Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.

terça-feira, dezembro 04, 2018

Esboços aguarelados sobre Olivais Norte, Lisboa (I) - Infohabitar 667

Infohabitar, Ano XIV, n.º 667
Mais alguns esboços aguarelados sobre Olivais Norte, em Lisboa I
por António Baptista Coelho

Esta semana e as próximas serão dedicadas a uma edição simples, não comentada, de alguns últimos esboços, mantendo-se uma “tradição” da Infohabitar, onde já foram editados algumas dezenas de artigos com esboços diversos, alguns comentados outros não.

Regista-se, apenas, que Olivais Norte, em Lisboa, o bairro agora esboçado em algumas vistas, constitui um conjunto habitacional e urbano de pura traça modernista e sendo, nesta perspectiva, muito provavelmente, o melhor exemplo modernista português, que alia a esta valia cultural e arquitectónica única uma extraordinária qualidade de vivência urbana e habitacional; mas, no entanto, Olivais Norte encontra-se, actualmente e já desde há anos, no que se considera ser um sensível e crescente estado de pouco cuidado com os seus espaços exteriores públicos, que é  bem evidente, designadamente, durante os meses mais quentes (devido à ausência de rega), mas também em pavimentos degradados, falta de mobiliário urbano compatível com o carácter dos espaços, novas intervenções de reformulação de estacionamentos desenquadradas das originais, etc.; uma situação que afecta a fruição do espaço público e a sua imagem, e uma situação para a qual também contribui, intensamente, a contínua “destruição” das fachadas dos seus excelentes edifícios - verdadeiros marcos da nossa história habitacional - com marquises, estores e outras intervenções dissonantes.

Será já tempo de se pensar, urgente e decididamente, em parar esta múltipla e triste  “destruição” do nosso bairro modernista por excelência, e talvez através de uma aliança estratégica e bem acordada entre município/estado e moradores, partir para uma gradual, mas bem afirmada, recuperação da imagem urbana pública de Olivais Norte (integrando espaços públicos e fachadas dos edifícios), restituindo a este bairro a sua clara importância histórica e cultural, que poderia ser bem evidenciada, por exemplo, através de um núcleo  interpretativo do Bairro (por exemplo, sediado, estrategicamente num espaço da estação de metro da Encarnação, centrada no Bairro), e, simultaneamente, revalorizando, assim, muito significativamente, os seus espaços públicos, edifícios e habitações - e já há exemplos excepcionais de moradores que, isoladamente, procuram recuperar a imagem original das suas habitações e até a vizinhança contígua dos seus espaços públicos, faltando transformar este processo numa dinâmica bem enquadrada e ampla, que poderá, eventualmente, recorrer a adequadas soluções inovadoras em termos de imagem produzida/recuperada e de custo/benefício - benefício este no qual talvez se possam também incluir melhorias das habitações em termos do respectivo conforto ambiental (pois julga-se que há programas específicos de apoio a este tipo de intervenções).



Fig. 01 - sem título



Fig. 02 - preexistência entre blocos modernistas e verde urbano
Fig. 03 - a zona verde central



Fig. 04 - sem título



Fig. 05 - sem título



Fig. 06 - o verde urbano entre as diversas tipologias
Fig. 07 - o reino do peão




Fig. 08 - sem título


Notas editoriais:
(i) Embora a edição dos artigos editados na Infohabitar seja ponderada, caso a caso, pelo corpo editorial, no sentido de se tentar assegurar uma linha de edição marcada por um significativo nível técnico e científico, as opiniões expressas nos artigos e comentários apenas traduzem o pensamento e as posições individuais dos respectivos autores desses artigos e comentários, sendo portanto da exclusiva responsabilidade dos mesmos autores.
(ii) De acordo com o mesmo sentido, de se tentar assegurar o referido e adequado nível técnico e científico da Infohabitar e tendo em conta a ocorrência de uma quantidade muito significativa de comentários "automatizados" e/ou que nada têm a ver com a tipologia global dos conteúdos temáticos tratados na Infohabitar e pelo GHabitar, a respetiva edição da revista condiciona a edição dos comentários à respetiva moderação, pelos editores; uma moderação que se circunscreve, apenas e exclusivamente, à verificação de que o comentário é pertinente no sentido do teor editorial da revista; naturalmente , podendo ser de teor positivo ou negativo em termos de eventuais críticas, e sendo editado tal e qual foi recebido na edição.

Infohabitar, Ano XIV, n.º 667
Maia alguns esboços aguarelados sobre Olivais Norte, em Lisboa I

Infohabitar
Editor: António Baptista Coelho
abc.infohabitar@gmail.com
abc.infohabitar@gmail.com


Revista do GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional Infohabitar,– Associação com sede na Federação Nacional de Cooperativa de Habitação Económica (FENACHE).

Apoio à Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.