sábado, agosto 01, 2015

Verde Urbano Desenhado I - n.º 544 Infohabitar

http://labhab.fau.usp.br/3cihel/ 

Infohabitar, Ano XI, n.º 544

Verde Urbano Desenhado - I
António Baptista Coelho

Apresentam-se, em seguida, alguns apontamentos/desenhos livres realizados sobre a temática do verde urbano.
Todos este desenhos foram realizados, no próprio local, em Olivais Norte - Encarnação, Lisboa.
Fazem-se, em alguns casos, comentários curtos e práticos, abordando o "desenho" e também, por vezes, matérias de urbanismo e habitat humano.



Harmonização entre verde urbano e edifícios altos

Desenho 1: em Olivais Norte/Encarnação, Lisboa – o nosso bairro modernista por excelência a conhecer, facilmente, a partir da estação de Metro da Encarnação (situada bem a meio do bairro) – o verde urbano harmoniza os edifícios altos sobre pilares – piso térreo vazado proporcionando continuidade de vistas naturais.



Ruas muito naturais e urbanas

Desenho 2: as ruas assumem fortíssimo conteúdo natural, realizadas nos anos 60 do século XX, pela primeira vez em Portugal com a participação de paisagistas e com uma excelente qualidade urbanística; e não é por terem esse forte conteúdo natural que são menos urbanas: há aqui muito a (re)aprender.



O verde urbano e os edifícios integram-se com naturalidade

Desenho 3: verde urbano e os edifícios integram-se com naturalidade, mas nesta “naturalidade” o principal segredo é a excelente qualidade urbana e paisagística da envolvente e a excelente qualidade de desenho de arquitetura do edificado, que se carateriza por elevada sobriedade e pormenorização (matéria a desenvolver nesta série editorial).



Um exemplo de ligação entre natureza e espaço urbano - Olivais Norte


Desenho 4: - o verde urbano assume expressão fortemente naturalizada e marcada por árvores preexistentes (ex., oliveiras) e pela introdução de espécies rústicas (com manutenção simplificada, embora de crescimento relativamente lento) mas com excelente imagem, como os medronheiros.



Naturalização do espaço urbano incentiva biodiversidade


Desenho 5: a naturalização do espaço urbano incentiva a biodiversidade, que proporciona “espetáculo” natural aos habitantes da cidade e designadamente às crianças.



O verde urbano é espetáculo sempre renovado

Desenho 6: o verde urbano é espetáculo sempre renovado, sempre novo com o passar do ano.
Dos troncos despidos às massas de folhas marcadas por sombras e variadas tonalidades de verde e azul, as árvores são um dos temas de eleição de quem desenha; e aprende-se muito com elas desde a proporção geral, à modelação formal, ao claro/escuro, às misturas cromáticas e, naturalmente, ao equilíbrio entre a síntese formal e a indicação do pormenor.

Infohabitar, Ano XI, n.º 544
Verde Urbano Desenhado - I
Editor: António Baptista Coelho abc@ubi.pt, abc@lnec.pt e abc.infohabitar@gmail.com
GHabitar (GH) Associação Portuguesa para a Promoção da Qualidade Habitacional, Mestrado Integrado em Arquitectura da Universidade da Beira Interior - MIAUBI

Edição: José Baptista Coelho - Lisboa, Encarnação - Olivais Norte.


Sem comentários :