terça-feira, agosto 10, 2010

ATRACTIVIDADE E AGRADABILIDADE – RESIDÊNCIA MADRE MARIA CLARA - OUTURELA - Infohabitar 307

Infohabitar, Ano VI, n.º 307
Artigo de João Rainha Castro

Situado na Portela de Carnaxide, numa malha urbana de bairros de cariz social e equipamentos públicos que os servem, o Centro de Dia e Residência para Pessoas Idosas implanta-se como um edifício diferenciador e até singular.


Fig. 01

O edifício funciona como um contraponto ao carácter arquitectónico do bairro residencial e tenta estabelecer um forte sentido de identidade arquitectónica para as comunidades vizinhas, através dos seus materiais particulares, coloridos e texturados.


Fig. 02

O piso térreo é construído por ardósia preta que contrasta com a transparência de vidros grandes dos espaços sociais e públicos. As 60 habitações dispostas no sentido sudoeste-nordeste são distribuídas por quatro pisos, ligados por um espaço central flexível, permitindo pontos de encontro entre utilizadores e visitantes. A circulação e vazios que se criam são parte integrante da estratégia bioclimática pensada para o edifício, a par de um jardim exterior tem a funcionalidade de ser como que uma extensão do espaço público quando este é aberto, procurando desta forma ser também elemento capaz de desenhar espaço público entre as várias tensões urbanas que estão presentes na paisagem.


Fig. 03

É esta aptidão para atrair, cativando a atenção sobre si, desenvolvendo um meio residencial cuidado, atraente e singular que nos permite conferir a atractividade como característica muito presente no empreendimento na Portela. Neste equipamento é evidente o cuidado formal, estético e criativo, recorrendo ao ritmo das fachadas e à cor, características visuais fortes e muito presentes, para promover um construído capaz de marcar o território, desenhando um objecto quase que iconográfico num local de génese social com inúmeros blocos de habitação que são a antítese da aposta realizada no equipamento em apreço. A capacidade criativa e iconográfica da composição construída, bem organizada no lote, desenhando todos os espaços com igual rigor e não deixando nenhum elemento ao acaso >> unificando, traduz-se num equipamento onde a característica atractividade é presença constante.


Fig. 04

No equipamento em apreço esta característica complementa-se e é celebrada com uma outra característica >> agradabilidade arquitectónica residencial, tendo sido desenvolvidas e implementadas soluções que não só contribuem como garante do conforto e bem estar material e funcional, como desenham espaços salubres, cómodos e aprazíveis para o utilizador, onde a multiplicidade de condições naturais de conforto ambiental foram consideradas, abordadas e implementadas na arquitectura como estratégia de trabalho.

É evidente que desde cedo a adequação climática foi uma preocupação, implantado o edifício sobre o eixo Sudoeste-Nordeste, numa estratégia urbana e arquitectónica de promover a entrada de luz natural não só nas habitações como nas circulações, ainda que controlando a entrada do sol de forma cuidada. De igual forma, o edifício desenha-se perpendicular ao eixo da via, minimizando assim a exposição aos ruídos exteriores.


Fig. 05

A existência de um pátio que se abre para um amplo jardim com elementos naturais como árvores e plantas (abertura paisagística) permite a implementação de um ambiente familiar/acolhedor, que se alia ao desenho cuidado de todos os espaços garantindo o conforto ergonómico e funcionalidade do equipamento. Ainda de referir que a ventilação natural dos espaços de circulação é assegurada.


Fig. 06

O Centro de Dia e Residência para Pessoas Idosas é um exemplo cuidado onde se vislumbram com evidência duas características correlativas ao conforto e aspecto da qualidade arquitectónica residencial >> atractividade e agradabilidade


Fig. 07

Autoria do projecto de Arquitectura da RESIDÊNCIA MADRE MARIA CLARA
Arquitectos Cristina Veríssimo, Diogo Burnay e Patrícia Ribeiro; e Arquitecta Paisagista Inês Norton de Matos Promotor: Município de Oeiras
Construtor: Mota Engil, SGPS, S.A. Construção: 2007

Breves notas do editor sobre o presente artigo:


O autor, João Rainha Castro, é Arquitecto Partner do Gabinete QUADRANTE Arquitectura, licenciado em Arquitectura em 98-2003 no Instituto Superior Técnico (IST), frequenta, actualmente, o Programa de Doutoramento em Arquitectura e Desenho Urbano do DECA do IST.

Este programa de doutoramento em Arquitectura é participado pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil e especificamente pelos doutorados do seu Núcleo de Arquitectura e Urbanismo (NAU), com participações do seu Núcleo de Ecologia Social (NESO).

Nota da edição: embora os artigos editados na revista Infohabitar sejam previamente avaliados e editorialmente trabalhados pela edição da revista, eles respeitam, ao máximo, o aspecto formal e o conteúdo que são pro postos, inicialmente pelos respectivos autores, sublinhando-se que as matérias editadas se referem, apenas, aos pontos de vista, perspectivas e mesmo opiniões específicas dos respectivos autores sobre essas temáticas, não correspondendo a qualquer tomada de posição da edição da revista sobre esses assuntos.
Infohabitar, Ano VI, n.º 307
Infohabitar a Revista do Grupo Habitar
Editor: António Baptista Coelho
Edição de José Baptista Coelho
Lisboa, Encarnação - Olivais Norte, 10 de Agosto de 2010





Sem comentários :